Dividir a propriedade com outras pessoas não é fácil, nem existem vizinhos ideais, mas a sã convivência é possível e até agradável se nos conhecermos um pouco melhor. Conheça quem vive ao seu lado e respeite algumas regras básicas do civismo e da boa vizinhança. Para mobilizar as pessoas a combater o isolamento e promover o sentido de comunidade nos condomínios, partilhamos algumas regras de boa vizinhança. 

Cartoon sobre vizinhos

Dicas para a boa convivência entre vizinhos

  • Não custa cumprimentar o vizinho, perguntar-lhe como está ou se precisa de ajuda. Conhecer os vizinhos ajuda à coesão social e a uma melhor coabitação.
  • Evite a emissão de fumos, vapores, cheiros e trepidações, que muitas vezes prejudicam as relações de vizinhança. Por exemplo, não asse sardinhas na varanda quando a vizinha tem roupa estendida a secar.
  • Se a intenção é tratar os outros condóminos como espera ser tratado, saiba que o ruído de vizinhança, tal como ouvir música num volume alto, deverá ser evitado. Contudo, há fases do dia em que o cuidado deve ser redobrado, nomeadamente entre as 23h00 e as 07h00.
  • Ninguém gosta de ser incomodado pelas obras que estão a ser feitas na casa dos vizinhos. O aviso de obras deve ser colocado num local visível, antes de estas começarem, e deve conter a previsão da sua duração, bem como a indicação das horas em que se prevê a produção de maior ruído. Sempre que possível deve informar o administrador do condomínio. Convém ainda ter presente que as obras só poderão ser feitas em dias úteis, entre as 08h00 e as 20h00.
  • A presença de animais domésticos em casa não poderá pôr em causa a saúde, nem a segurança das outras pessoas e dos outros animais. Os seus ruídos e cheiros também não poderão prejudicar o direito ao descanso e o bem-estar dos vizinhos. A regra geral é que, em cada apartamento, não podem coabitar mais de três cães ou quatro gatos, não podendo, no total, contar-se mais de quatro animais.
  • Colocar a roupa no estendal exterior é um hábito comum entre os portugueses. Convém ter presente que não deverá colocar roupa a pingar para os estendais dos pisos inferiores, sob pena de causar danos aos seus vizinhos.
  • Lavar o terraço com baldes de água, utilizar produtos tóxicos na limpeza ou sacudir o lixo dos seus tapetes são outros atos que podem prejudicar os demais condóminos. Para todos estes procedimentos, faça uso de bom senso.
  • Fumar à janela é uma questão de saúde para as pessoas que coabitam consigo, mas dessa opção não deverá resultar qualquer prejuízo para os vizinhos. Se fumar à janela, acondicione cuidadosamente os restos dos seus cigarros e coloque-os em recipientes adequados.
  • Proteger a segurança do prédio é proteger a sua propriedade e a propriedade dos seus vizinhos. Ser cuidadoso no fecho da porta do prédio, por exemplo, é um gesto vital.
  • Fazer festas em casa não é, por si só, um problema. O que pode transformar-se num problema é o ruído e a agitação que qualquer festa pode implicar. Sugerimos a colocação de um aviso que contenha a informação relativa à festa, designadamente a data e a hora em que a mesma vai ocorrer, em local visível. Se possível, informe os vizinhos que estejam mais próximos do local da festa.
  • A utilização dos recursos que são de todos não é possível em benefício próprio. A água e a luz do edifício não deverão, por isso, ser utilizadas apenas no interesse de um condómino. Evite lavar o seu veículo na garagem, com água que é paga por todos.
  • Não estacione o seu veículo fora do seu lugar de garagem.
O cumprimento destas simples sugestões não dita que a convivência entre vizinhos seja pacífica e isenta de problemas, mas ajuda a evitar atritos. Lembre-se, apenas, de que o respeito pelas regras básicas de civismo e pelos direitos dos outros são os princípios que lhe permitirão preservar a paz de espírito e o valor da sua própria propriedade.

A ter em conta

Para ter acesso ao artigo completo:
SUBSCREVA o Condomínio DECO+
ou
ENTRE na sua conta.